Av. Eng. Atílio Correia Lima nº 1.549, Cidade Jardim(62) 3235-6222 / 6223 - E-mail: comunicacao@tiradentes.org.br

HPM se movimenta no Combate ao Fumo

Publicação 101 de 457

Combate ao FumoDia 29 de agosto é o Dia Nacional de Combate ao Fumo, criado em 1986 pela Lei Federal 7.488 voltada para controle do tabagismo como problema de saúde coletiva que tem como objetivo reforçar as ações nacionais de sensibilização e mobilização da população para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco.

 O tabagismo é a principal causa de mortes evitáveis no mundo, sendo um dos principais fatores de risco para morte precoce e incapacitantes. Antes visto como um estilo de vida é atualmente reconhecido como uma dependência química que expõe os indivíduos a inúmeras substâncias tóxicas

Além de ser responsável por vários tipos de câncer, o tabaco também aumenta o risco de doenças cardiovasculares e respiratórias, inclusive para fumantes passivos. Dos tipos de câncer, o mais frequente é o de pulmão, com um risco atribuível ao tabagismo de mais de 90% em homens e de 70% em mulheres. Dados da Organização Mundial da Saúde estimam que, atualmente, 5,4 milhões de óbitos são atribuídos ao tabagismo. No Brasil, estima-se que o tabagismo responda por 200 mil óbitos ao ano. Todavia, a redução do uso diário de tabaco diminui o risco de problemas cardiovasculares, de sintomas respiratórios e da incidência de câncer, em especial o de pulmão.

Grandes esforços têm sido feitos por vários países, sobretudo os desenvolvidos, no sentido de controlar o tabagismo, o que vem levando a uma queda importante na prevalência de fumantes nas últimas décadas.

Essa importante redução da prevalência de fumantes no Brasil foi o resultado de ações de prevenção e controle do tabagismo, que incluíram medidas educativas, preventivas e regulatórias, como a aprovação, no Congresso, da lei 9294/96, que proíbe o uso de cigarros em recinto de uso coletivo e, a partir do ano de 2000, proibiu a publicidade, a promoção e o patrocínio de produtos do tabaco, restringindo-os aos pontos de venda.

De 2006 a 2016, a prevalência de fumantes na população caiu de 15,7% para 10,2%.

Com o objetivo de diminuir a incidência de fumantes na PMGO e evitar as complicações de saúde causadas pelo tabagismo  o Comando de Saúde oferece tratamento através do Programa de Atenção Integral à Saúde do Policial Militar (PAISPM/Tabagismo), que consiste em reuniões semanais por um período de cinco meses. Interessados poderão se inscrever no Serviço Social.

Fonte: Major Cárita Regina S. Freire
Coordenadora PAISPM/Tabagismo.

Tags: